Uma publicação da Editora Brasil Energia

Campos produtores

Característica e indicadores dos campos em produção no país

Característica e indicadores dos campos em produção no país

Mexilhão

Campo de gás não associado está em produção desde 2011

Argonauta

Campo faz parte do Parque das Conchas e começou a produzir em 2010

Atapu

Campo do pré-sal da Bacia de Santos começou a produzir em junho de 2020

Fazenda Alegre

Um dos maiores campos terrestres da bacia do Espírito Santo, teve sua concessão prorrogada até 2052

Canto do Amaro

Descoberto em 1985, campo terrestre se mantém como um dos maiores produtores da bacia Potiguar

Piranema

Campo em águas profundas da Bacia de Sergipe está nos planos de desinvestimento da Petrobras

Golfinho

Campo da Bacia do Espírito Santo produz desde 2006 e está nos planos de desinvestimento da Petrobras

Carmópolis

Campo começou a produzir em 1963 e se mantém como a área de maior produção terrestre em Sergipe-Alagoas

Rio Urucu

Quarto maior campo produtor de gás do Brasil, está em produção desde 1988 com um dos menores custos de extração do país

Baúna

Situado em águas rasas na Bacia de Santos, o campo começou a produzir em 2012

Gavião Azul

Declarado comercial em 2011, o campo começou a produzir em 2017 para atender a termelétrica Parnaíba

Frade

O campo de Frade, localizado na parte norte da Bacia de Campos, foi declarado comercial em 1998 e começou a produzir em 2009

Manati

O campo de Manati, na Bacia de Camamu, foi descoberto em 2000 e entrou em produção em 2007

Tiê

Localizado na bacia terrestre do Recôncavo, o campo começou a produzir em 2012

Tartaruga Verde

Declarada comercial em 2013, a área entrou em produção definitiva em 2018

Sururu

O campo foi declarado comercial em 2014 e entrou em operação definitiva em 2019

Jubarte

O campo está em produção desde 2002 e é operado integralmente pela Petrobras

Berbigão

Localizada na Bacia de Santos, a área foi descoberta em 2008 e declarada comercial seis anos depois

Atlanta

Campo é o primeiro operado pela Enauta no offshore a entrar em produção

Voador

Projeto de revitalização do campo, em produção desde 1992, prevê substituição das plataformas por dois FPSOs

Caratinga

A Petrobras tem 100% da concessão e em 2010 realizou uma descoberta no pré-sal do campo, batizada como Carimbé, onde estimativas preliminares indicam volumes recuperáveis de 105 milhões de boe

Barracuda

A Petrobras, operadora com 100% da concessão, prevê perfurar 14 poços no campo, para aumentar o fator de recuperação de 19,5%, em 2025, para 23,13% em 2052

Roncador

Petrobras e Equinor buscam aumentar fator de recuperação do campo em 5%, o que pode trazer um volume adicional de aproximadamente 500 milhões de boe em reservas

Lapa

O campo foi o terceiro a entrar em operação no pré-sal da bacia de Santos em 2016 e o desenvolvimento inicial prevê a conexão dos poços ao FPSO Cidade de Caraguatatuba

Plataformas marítimas

Características das plataformas produtoras em operação no offshore

Características das plataformas produtoras em operação no offshore

FPSO OSX-3

Plataforma produz desde 2013 no campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos

P-70

FPSO começou a produzir em Atapu em 2020

PMXL-1

A Plataforma de Mexilhão está em produção desde em 2011

Plataforma de Manati

Unidade está em produção desde 2007 no campo de Manati, na bacia de Camamu

FPSO Frade

Plataforma produz desde 2009 no campo de Frade, na bacia de Campos

FPSO Cidade de Paraty

Plataforma está em operação desde 2013 em Lula Nordeste, na bacia de Santos

P-58

A plataforma está instalada na região do Parque das Baleias, na porção capixaba da Bacia de Campos

P-55

A plataforma entrou em operação em 2013 no campo de Roncador, na Bacia de Campos

P-48

A plataforma é uma unidade flutuante estacionária, que recebe, processa e armazena o óleo de Caratinga

P-43

A plataforma é uma unidade flutuante estacionária que recebe, processa e armazena o óleo do campo de Barracuda

P-31

A plataforma entrou em operação em 1998 como parte da fase II do campo de Albacora

P-62

Plataforma produz desde 2014 no módulo 4 de Roncador, na Bacia de Campos

P-68

Unidade produz no campo de Berbigão, no pré-sal de Santos, desde novembro de 2019

P-75

Plataforma opera no campo de Búzios, na Bacia de Santos, desde novembro de 2018

P-76

Unidade produz no campo de Búzios, na Bacia de Santos, desde fevereiro de 2019

P-77

Plataforma produz no campo de Búzios desde março de 2019

FPSO Petrojarl

Navio teve que ser adaptado para produzir o óleo pesado de Atlanta, onde opera desde 2018

FPSO Cidade de Niterói

Em produção no campo de Marlim Leste desde 2009, FPSO teve seu contrato estendido até 2024

FPSO Capixaba

Em produção no campo de Jubarte, o FPSO será descomissionado em 2022

P-74

A plataforma produz no campo de Búzios e tem capacidade para 150 mil b/d de óleo e 7 milhões de m³/d de gás

P-66

Com capacidade para 150 mil b/d de óleo e 6 milhões de m³/d de gás, está no campo de Lula desde 2017

Conheça o Polo Rio Ventura

O polo reúne oito campos terrestres, distribuídos por quatro municípios na Bahia

O polo reúne oito campos terrestres, distribuídos por quatro municípios na Bahia

FPSOs em alta

Mercado mundial de FPSOs volta a crescer, tendo o Brasil como um dos principais polos de novas encomendas

A atenção das operadoras de FPSOs está voltada ao Brasil, onde os novos negócios projetam uma média de encomendas de quatro a cinco unidades por ano. Ao contrário do passado, quando os pedidos eram originados basicamente por uma única petroleira, a demanda será mais pulverizada, vinda não só da Petrobras, sem dúvida ainda a maior […]

Produção de 5,1 milhões de b/d

PDE 2027 faz projeções animadoras para a produção de óleo no país.

PDE 2027 faz projeções animadoras para a produção de óleo no país.

Enfim, os números positivos

O segmento vai experimentar grande atividade no Brasil nos próximos anos, especialmente pelos projetos do pré-sal de Santos

O segmento vai experimentar grande atividade no Brasil nos próximos anos, especialmente pelos projetos do pré-sal de Santos

Camamu-Almada

Atualmente, existe na bacia um total de seis campos, sendo que ao longo de 2018 apenas Manati e o campo terrestre de Jiribatuba estavam em operação

Atualmente, existe na bacia um total de seis campos, sendo que ao longo de 2018 apenas Manati e o campo terrestre de Jiribatuba estavam em operação

Campos

A bacia chegou a ser responsável por mais de 80% da produção nacional. Hoje, somando os volumes de óleo e gás e considerando a média anual de 2018, a…

A bacia chegou a ser responsável por mais de 80% da produção nacional. Hoje, somando os volumes de óleo e gás e considerando a média anual de 2018, a produção da região responde por 39,89% da produção brasileira, com a marca de 1,312 milhão de boe/dia, já perdendo para a Bacia de Santos

Espírito Santo

Atualmente, a Bacia do Espírito Santo conta com um total de 51 campos na fase de produção, sendo 45 onshore e seis offshore, três em estágio de…

Atualmente, a Bacia do Espírito Santo conta com um total de 51 campos na fase de produção, sendo 45 onshore e seis offshore, três em estágio de desenvolvimento - Bem-Te-Vi, Garça Branca e Rio Maricucu, e outros nove em processo de devolução.

Ceará

Hoje, a Bacia do Ceará produz 4,94 mil boe/dia de óleo (dados de dezembro), extraídos dos quatro campos de águas rasas descobertos no mar, todos…

Hoje, a Bacia do Ceará produz 4,94 mil boe/dia de óleo (dados de dezembro), extraídos dos quatro campos de águas rasas descobertos no mar, todos operados pela Petrobras. A produção de óleo é de 4,39 mil barris/dia de óleo, enquanto a de gás soma 87 mil m³/dia de gás
1 of 2